21/05/2012

Poema de Desespero

Deixo que minhas lágrimas caiam livremente.
Não há porque meus soluços esconder.
Minha alma sufocada na amargura que sente
entrega-se a solidão que neste momento está a abater.

Meu corpo ressente tamanho desanimo,
que deitada, sem vontade para ao menos me levantar.
vejo a penumbra do meu quarto aos poucos ser trocada
pela escuridão de mais uma noite adentrar.

Meu coração bate acelerado e em meio à dor
deseja simplesmente tudo esquecer dormindo,
para quem sabe desta forma destruir esse vazio
que dói.. dilacera e está me destruindo.

Não me importa os olhos inchados pelo choro.
Se as pessoas não conseguem entender o porque,
para mim neste momento não importa nada.
Vejo minha vida, pelos vão dos meus dedos escorrer.

Não consigo lutar contra o que sinto.
Minhas lagrimas e minha dor aqui retrato agora.
Minha alma angustiada se entrega a esse vazio
Eu queria sumir, ir pra longe, ir embora.

Como se lá, onde ninguém pudesse me encontrar.
essa dor esquecesse de mim por um momento.
E meu coração encontrasse na solidão o alivio
e tirasse de dentro da alma esse sentimento.

Mas a dor que existe em mim, é tão palpável.
que tudo em mim parece meu desespero retratar
Assim minhas lagrimas traduzem minha angustia
E são os reflexos do que não posso na alma calar.

Assim eu entrego, minhas lagrimas a essa escuridão
Que sobre meu corpo desce de forma total
E coloca em meus olhos um brilho tão triste
E revela que dentro de mim há um frio mortal.
Autor:Desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário