27/03/2012

O vazio da segunda Guerra Mundial

Dei o dito pelo não dito,
Vejo o meu futuro perdido,
Agora que a segunda guerra
Acabou, o mundo ficou destruído.

AS taxas de mortalidade
Aumentaram abruptamente,
A minha família perdi durante
Esta horrível guerra, estou
Preso num mundo de infelicidade.

Do que é que me vale o pouco
Dinheiro que comigo trago
Se nada posso comprar, todos 
Os produtos estão mais caros 
Devido a inflação,
Por estas ruínas que outrora 
Foram ruas caminho sem
Rumo e com um vazio no
Coração.

Do que é que me vale a
Vida, se perdi tudo, 
Nada os trará de volta,
Esta infelicidade que por 
Dentro me corrói,
Da voz ao silencio da minha
Revolta.

Este pó que sobre o ar paira,
Conta como os Nazis destruíram
Tudo sem piedade e mataram
Famílias sem dó e os judeus
Tentaram exterminar .

Não preciso de pensar muito
Para perceber que idolatravam
Hitler como um deus,
E que seguindo a sua ideologia 
Mataram muitos dos meus.

Perdi a paixão que dentro de mim 
Existia, perdi a mulher da minha
Vida, e os meus filhos que com ela 
Estavam, Os Alemães bombardearam
O prédio onde eles estavam,
Hoje passei por lá e nada restava,
Perdi a família que tanto amava.

Vi com bons olhos a chegada da Rússia
Á Polónia, mas ainda me lembro
Do triste tempo de guerra em que
Minuto a minuto sofria.

Estávamos todos separados uns foram
Apanhados e para campos de 
Concentração eram enviados, enquanto 
Os restantes no prédio permaneciam escondidos.

Tantos momentos de fome foram vividos
Nesta secreta residência com os 
Nossos amigos, enquanto ouvíamos 
A rádio para estar a par dos passos
Dos que á nossa vida eram inimigos.

Muitos vizinhos que nos ajudavam por
Eles eram inquiridos e em certos
Casos acabavam mesmo por ser detidos.

Este era o ciclo que se vivia diariamente
Durante a guerra, nesta fase a minha
Saúde começara a fraquejar, e já da fome  Me ressentia, eu tentava mas não conseguia Que o dia seguinte fosse diferente.

Tenho a noção de que só sobrevivi devido Á ajuda dos meus amigos que na alta Sociedade estavam inseridos e a eles Estarei eternamente agradecido, por  Tudo o que por mim fizeram
Durante tamanhos momentos vividos.

Hoje pelos locais onde os responsáveis 
Da minha eterna perda passavam, 
Caminho em silencio, em plena solidão
sempre com este sentimento de revolta
E um grande vazio no meu coração.

7 comentários:

  1. caramba hein, chorei

    ResponderExcluir
  2. gosto muito pra caramba

    ResponderExcluir
  3. Sou artista plástica decendente de alemão sobre nome Reuter,meu avô Julio Reuter veio para o Brasil jovem,enfim ele aqui deixou uma família grande,e na Alemanha morreram todos só resta lá uma mulher que mesmo assim não temos contato,este ano fui pela primeira vez na Alemanha Berlim,fiquei encantada,e mais encontrei o pequeno cemitério onde se encontra os restos mortais de meu bisavó Willian minha bisavó minha tia avó e a segunda mulher do meu bisavô.Foi muito emocionante para mim minha irmã e minha sobrinha,tudo muito bem cuidado,descobrimos que ele teve cargo importante na Alemanha "Guardião das Matas"aquele bosque que estávamos foi plantado por ele,que levou sementes da América.E eu como artista quero fazer uma grande exposição falando deste massacre,horrivel de tantos sêres humanos."Mas a Alemanha está de parabéns pois ressucitou com tudo"Tenho orgulho de ser descendente de alemão.

    ResponderExcluir
  4. meu coração partiu em ver essa criança chorando....comprei o livro sobre essa guerra mas estou me desidindo se vou ler, minha mãe leu e disse que é muito triste como o livro conta a morte de tantas crianças inoscentes.

    ResponderExcluir
  5. Que merda, tristeza, medo e dor dos outros vira poesia na mão de quem nunca passou por isso. Como dizia meu avô ( brasileiro mesmo ) Pimenta no rabo dos outros é refresco.

    ResponderExcluir
  6. È muito importante não deixar a lembrança apagar - foram massacrados milhões de inocentes sem apelação. Contava o meu avô que mesmo se rendendo, eram assassinados pelos alemães. Não hesitavam em matar crianças e bebês. Mulheres e idosos. Difícil compreender de onde vem tanta crueldade. Cuidado pra não se repetir. Temo.

    ResponderExcluir